Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 31º Feira de Santana
19 de outubro de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Cultura

Historiador Arno Wehling toma posse na Academia Brasileira de Letras

12/08/2017 17h17
Presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), o acadêmico havia sido eleito em 9 de março para o lugar do poeta Ferreira Gullar, falecido em dezembro do ano passado.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra

Acorda Cidade

Agência Brasil - O historiador e professor Arno Wehling tomou posse nesta sexta-feira (11) na Cadeira 37 da Academia Brasileira de Letras (ABL). Presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), o acadêmico havia sido eleito em 9 de março para o lugar do poeta Ferreira Gullar, falecido em dezembro do ano passado.

Além de Gullar, já ocuparam a Cadeira 37 os imortais Silva Ramos, Alcântara Machado, o ex-presidente da República Getúlio Vargas, Assis Chateaubriand, João Cabral de Melo Neto e Ivan Junqueira.

“Em todos os ocupantes da cadeira, uma unanimidade, a defesa da língua portuguesa como falada no Brasil, com suas características e particularidades. E um traço comum, a esperança dirigida a objetos diversos, conforme os valores e as intenções de cada um, mas sempre esperança”, disse Wehling em seu discurso.

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

1º lugar – Categoria de 11 a 14 anos

mais podcast ›

Videos

Ao vivo: CCJ discute parecer pela inadmissibilidade de denúncia contra Temer