Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 25º Feira de Santana
24 de julho de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Bahia

Ministério da Saúde lança na Bahia iniciativa para reduzir mortalidade neonatal

17/07/2017 13h31
Segundo o levantamento do Ministério da Saúde, a Bahia tem a segunda maior taxa de mortalidade de recém-nascidos: são 13,7 para cada 1 mil nascidos vivos em 2014.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Ministério da Saúde lança na Bahia iniciativa para reduzir mortalidade neonatal
Foto: Agência Brasil

Acorda Cidade

Agência Brasil - Com o objetivo de reduzir a mortalidade neonatal, em bebês de até 28 dias, o Ministério da Saúde (MS) lançou, hoje (17), um conjunto de ações denominado Estratégia Qualineo, em Salvador. A iniciativa foi lançada na capital baiana e será implantada, inicialmente em dez estados prioritários, nos quais morrem mais de 11 bebês para cada 1 mil nascidos vivos: Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí, Roraima e Sergipe.

Segundo o levantamento do Ministério da Saúde, a Bahia tem a segunda maior taxa de mortalidade de recém-nascidos: são 13,7 para cada 1 mil nascidos vivos em 2014. O estado fica atrás somente do Amapá, onde a taxa é de 16,2. A média brasileira é de 9,9 para cada 1 mil nascidos vivos.

O plano integra outros programas já existentes do Ministério da Saúde e dá continuidade à Rede Cegonha, que atende as mães desde o planejamento reprodutivo até a gestação, pré e pós-parto.

“No Brasil, hoje, a gente tem a prematuridade como carro-chefe da morte neonatal. A prematuridade está relacionada à assistência materna. Então, se tem muito prematuro, eu tenho que ver como essa mulher está sendo assistida. Se o bebê morre até seis dias de nascido eu também posso responsabilizar a atenção básica, na gestação”, explica a conselheira técnica do ministério Liliane Augusto, que vai coordenar e acompanhar o preparo das equipes.

Também estão entre as causas de risco as infecções adquiridas após o nascimento ou durante a gestação, como a sífilis e a microcefalia possivelmente decorrente do vírus Zika, e malformações que demandam assistência ao recém-nascido.

O subsecretário de Saúde da Bahia, Adil José Duarte Filho, comemorou a iniciativa de implementar melhores práticas para diminuir a mortalidade neonatal. "Com a melhora dessas práticas, a gente consegue melhorar os resultados”, disse.

Durante três dias a partir de hoje (17), 40 profissionais ligados a maternidades de Salvador selecionadas participarão de oficinas de qualificação. Os serviços serão monitorados e avaliados por 24 meses. Aqueles que melhorarem o atendimento e, consequentemente, reduzirem as taxas de mortalidade neonatal, receberão o Selo Qualineo de certificação, concedido pelo Ministério da Saúde. A partir daí, as unidades com o reconhecimento passarão a qualificar outros estabelecimentos e profissionais.

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

OAB ajuiza ação contra aumento de taxas judiciárias na Bahia

mais podcast ›

Videos

Dia do motociclista é comemorado em Feira de Santana