Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 30º Feira de Santana
18 de outubro de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias São João

Concurso de quadrilhas juninas leva milhares de pessoas à Praça da Revolução, em Salvador

19/06/2017 06h31
Ao todo, participaram 40 quadrilhas juninas, de 36 municípios baianos.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Concurso de quadrilhas juninas leva milhares de pessoas à Praça da Revolução, em Salvador
Foto: Amanda Oliveira

Acorda Cidade

Cerca de dez mil pessoas assistiram às apresentações do X Campeonato Estadual de Quadrilhas Juninas da Bahia, realizado com apoio do Governo do Estado, na Praça da Revolução, no bairro de Periperi, em Salvador. O concurso teve início na quinta-feira (15) e seguiu até este domingo (17). Ao todo, participaram 40 quadrilhas juninas, de 36 municípios baianos.

A grande vencedora desta edição foi a Capelinha do Forró, da capital (bairro Capelinha), que obteve melhor pontuação em itens como casamento na roça, figurino e marcador, e vai disputar o Nordestão de Quadrilhas Juninas. Os segundo e terceiro lugares também ficaram com grupos de Salvador: Forró do ABC (Curuzu-Liberdade) e Imperatriz do Forró (Itacaranha).

Para o diretor da Capelinha do Forró, Augusto Reis, a vitória foi muito gratificante. Ele explica que a apresentação não é montada de uma hora para outra. “É o resultado de anos de trabalho, porque, quando termina o São João, a gente já começa a programar o ano seguinte. O São João é a festa que mais gostamos, onde podemos brincar e mostrar a nossa cultura. Por isso, representar a Bahia mais uma vez lá fora é muito gratificante”.

A coreógrafa da Quadrilha Pé no Chão, do município de Ribeira do Pombal, Inha Araújo, relaciona a tradição das quadrilhas juninas ao trabalho social. “São 80 pessoas envolvidas, entre dançarinos, equipe musical, figurinistas. Na nossa cidade, a gente dança em setembro, outubro, novembro. Sempre somos solicitados e estamos à disposição da população. Isso é, na verdade, um movimento social que preserva a cultura e resgata os jovens de caminhos ruins, além de movimentar a economia com a venda de tecidos, pedrarias e outros itens”.

São João da Bahia

O presidente da Bahiatursa, Diogo Medrado, explica que o Concurso de Quadrilhas é só uma etapa do São João da Bahia. “Semana que vem, começa a festa de São João, tanto no Pelourinho como aqui em Paripe. Há dois anos, esse concurso era na praça municipal, mas nada mais adequado do que trazer para o bairro onde as quadrilhas juninas estão sediadas, onde há essa tradição”, afirmou.

Medrado ressaltou que as arquibancadas ficaram lotadas durante os quatro dias de competição. “A gente tem aqui mais de 40 quadrilhas juninas de toda a Bahia. O foco da Bahiatursa é fazer essa promoção, 54% dos turistas que circulam na Bahia são baianos. Essa é uma forma de apresentar a cultura de cada cidade para o pessoal de Salvador”.

Parceria

Segundo o presidente da Federação Baiana de Quadrilhas Juninas, Carlos Brito, a competição envolve cerca de cinco mil pessoas. “Esse evento movimenta a comunidade aqui de Periperi, de outras regiões de Salvador e também de outras cidades. Tivemos um público de quase dez mil pessoas nos quatro dias de concurso”.
Para Brito, as quadrilhas são a maior simbologia dos festejos juninos. “É uma festa de família, os mais antigos lembram de suas raízes, sua cidade, essa festa faz com que este espírito junino se perpetue”. Ele avalia que o campeonato só existe porque há uma parceria com o Governo do Estado. “É preciso que haja a estrutura, a premiação, é isso o que possibilita a realização desta grande festa. Quadrilha junina não é só dança, é cultura, é social, é educação, é organização, é arte”, destacou.
 

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

1º lugar – Categoria de 11 a 14 anos

mais podcast ›

Videos

Ao vivo: CCJ discute parecer pela inadmissibilidade de denúncia contra Temer