Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

20º 33º Feira de Santana
20 de novembro de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Saúde

Guia rápido sobre a saúde íntima feminina

30/04/2017 10h49
Especialistas da área ginecológica salientam que todo líquido que sai da região da vagina é chamado de corrimento, porém alguns sinais indicam complicações na saúde íntima e necessidade de tratamento.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Guia rápido sobre a saúde íntima feminina
Foto: Reprodução

Acorda Cidade

Algumas mulheres chegam aos consultórios ginecológicos com algumas dúvidas, como: quais são as características do corrimento? E quando é apenas a secreção comum vaginal? No entanto, especialistas da área ginecológica salientam que todo líquido que sai da região da vagina é chamado de corrimento, porém alguns sinais indicam complicações na saúde íntima e necessidade de tratamento.

A mulher costuma eliminar naturalmente uma espécie de muco pela vagina, decorrente da descamação das células do útero. Mesmo que incômoda, a secreção vaginal é um estado comum e deve receber alerta somente em alguns casos. A higiene intima é o principal fator responsável por esse quadro.
Afinal, o que indica corrimento sério e que requer tratamento médico? Entenda:

O que é secreção vaginal?

A Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo afirma que é natural toda mulher possuir em algum momento a secreção vaginal. O que ocorre é que o fluxo e a intensidade se modificam de acordo com cada pessoa e ciclo em que se encontra no período da ovulação.

Meninas antes da menstruação ou mulheres no período da menopausa costumam produzir menor quantidade de hormônios, como o estrogênio. No entanto, para esses casos o fluxo de secreção vaginal costuma ser menor. As secreções são mais frequentes uma semana antes da menstruação ou quando existe o uso das pílulas anticoncepcionais.

Características da secreção saudável

Algumas mulheres se assustam quando percebem que existe uma secreção mais escura na roupa íntima, porém isso é completamente normal. A alteração da cor do fluído é em decorrência da aproximação do fluxo menstrual. Normalmente essa secreção é esbranquiçada.

No período da ovulação adquire uma transparência semelhante a clara de ovo. Coloração levemente amarelada é também comum, especialistas explicam que pode ser consequência das reações químicas de quando a secreção entra em contato com o oxigênio.

O portal de maternidade e saúde feminina Trocando Fraldas ressalta que o corrimento branco, pastoso, com odor incômodo e acompanhado de coceira pode ser sinal de infecções vaginais como a candidíase. Por outro lado, na ausência de odor forte ou outros incômodos é considerado normal.

Excesso de secreção aumenta os riscos de infecções?

As secreções não possuem relação com infecções, inclusive urinárias. No entanto, o corrimento vaginal aumenta os riscos de adquirir infecções e até mesmo doenças sexualmente transmissíveis.

É saudável o uso de absorventes diários para conter a secreção?

Embora confortáveis entre as mulheres que possuem mais secreção vaginal, os absorventes diários não são recomendados para o uso contínuo, exceto em casos com indicação médica. O uso frequente impede a oxigenação necessária para saúde intima, aumenta a umidade e favorece a ação dos micro-organismos prejudiciais.

Tipos de infecções vaginais

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP) considera os seis tipos de infecções vaginais que são a causa do corrimento, como: a vaginose, candidíase e a tricomoníase. Para esses casos o corrimento é visível e facilita o diagnóstico, porém a clamídia, a neisseria e a gonorreia produzem corrimento próximo a região do colo do útero, sendo imperceptível para a mulher.

De acordo com a SOGESP a redução do nível de lactobacilos na vagina e as alterações no pH são as principais causas para as infecções. Tratamento com antibióticos também desequilibram o pH vaginal, tal como situações estressantes causam a baixa resistência do organismo contra os agentes infecciosos.

Sinais que merecem alerta:
· Coloração mais forte acompanha de muita coceira;

· Odor forte e incômodo

· Irritabilidade na região vaginal por conta da coceira;

· Baixa imunidade é uma porta de entrada para a infecção vaginal.

Como prevenir o corrimento

Para diminuir os riscos de infecções a mulher que já foi acometida pelo problema pode alternar o uso de sabonete íntimo com o tradicional. Calcinhas de algodão ajudam a melhorar a oxigenação local. A SOGESP recomenda a prática regular de exercícios físicos, evitar o consumo de alimentos condimentados, cigarro e álcool.

Fazer a troca de roupa íntima e higienização (banho) sempre que praticar atividade física é fundamental. Ficar várias horas com a roupa após os exercícios é uma porta de entrada para a ação das bactérias responsáveis pelas infecções, pois se proliferam em regiões abafadas e úmidas.
 

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

Cartas para o Papai Noel dos Correios podem ser entregues até o dia 30 de novembro

mais podcast ›

Videos

Reforma trabalhista: Entenda as novas regras e formas de contratação