Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

20º 33º Feira de Santana
20 de novembro de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Dilton e Feito

Padilha diz que ministro da Saúde foi escolhido em troca de votos no Congresso

14/02/2017 10h06
Em palestra na Caixa Econômica Federal, ministro da Casa Civil contou que o titular da Saúde, Ricardo Barros, do PP, foi nomeado em troca de apoio integral do partido ao governo. “Nosso objetivo era chegar aos 88% de apoio no Congresso”
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Padilha diz que ministro da Saúde foi escolhido em troca de votos no Congresso
Foto: Congresso em Foco

O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, admitiu, em palestra na Caixa Econômica Federal, que o presidente Michel Temer escolhe seus auxiliares com base no número de que votos que ele pode lhe garantir no Congresso. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Padilha citou, como exemplo, como foi o processo de nomeação do deputado Ricardo Barros (PP-PR) como ministro da Saúde, mesmo sem ter qualquer afinidade ou histórico com a área. O ministro relatou o que disse ao PP ao entregar a pasta ao partido: “A Saúde é de vocês, mas gostaríamos de ter um notável”. A legenda, segundo ele, respondeu da seguinte maneira: “Diz para o presidente que nosso notável é o deputado Ricardo Barros”. “Vocês garantem todos os votos do partido nas votações?”. “Garantimos”. “Então o Ricardo será o notável.” O diálogo foi divulgado pela Coluna Estadão, assinada pelos jornalistas Andreza Matais e Marcelo de Moraes. Padilha não demonstrou preocupação com as críticas dirigidas ao ministro da Saúde. Para ele, o mais importante foi conquistado pelo governo. 

“Nosso objetivo era chegar aos 88% de apoio no Congresso. Não há na história do Brasil um governo que tenha conseguido 88% do Congresso. Isso Vargas não teve, JK não teve, FHC não teve, Lula não teve, só nós que conseguimos”, afirmou. Reportagem publicada na semana passada pela Folha de S.Paulo mostrou que Ricardo Barros adquiriu, em 2014, metade de um terreno de R$ 56 milhões em Marialva (PR), embora tenha patrimônio declarado de R$ 1,8 milhão. O ministro disse ao jornal que fez um empréstimo de R$ 13 milhões de seu sócio na transação, uma empresa do setor imobiliário, para bancar o negócio. Na ocasião, ele era secretário de Indústria e Comércio do Paraná. O Congresso em Foco procurou as assessorias dos ministros da Casa Civil e da Saúde para comentar as declarações. Mas não houve retorno até o momento. (Congresso em Foco)

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

Cartas para o Papai Noel dos Correios podem ser entregues até o dia 30 de novembro

mais podcast ›

Videos

Reforma trabalhista: Entenda as novas regras e formas de contratação