Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 27º Feira de Santana
25 de junho de 2017

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Cultura

Projeto 'Nós Transatlânticos' que envolve site precursor, com entrevistas de expoentes da cultura negra baiana e brasileira, será lançado com palestras, encontros musicais e culturais

02/12/2016 09h11
O lançamento do site integra a programação especial do museu, estendendo as comemorações do Novembro Negro, em compromisso com a cultura e a história, através da arte, da reflexão e da ação educativa.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
Projeto 'Nós Transatlânticos' que envolve site precursor, com entrevistas de expoentes da cultura negra baiana e brasileira, será lançado com palestras, encontros musicais e culturais
Foto: Divulgação

Acorda Cidade

Será lançado em Salvador, em 07 de dezembro, quarta-feira, a partir das 16h30, no Museu Nacional da Cultura Afro Brasileira (Muncab), o projeto ‘Nós Transatlânticos’, cujo objetivo é registrar o depoimento de importantes figuras da cultura afrodescendente no país. O evento marcará a celebração da herança africana com shows de Roberto Mendes e Ana Mameto, palestra de Ana Maria Gonçalves (autora do best seller Um Defeito de Cor), exposição no MUNCAB e distribuição dos DVDs demo do projeto.

Foto: Divulgação

O lançamento do site integra a programação especial do museu, estendendo as comemorações do Novembro Negro, em compromisso com a cultura e a história, através da arte, da reflexão e da ação educativa proporcionada por um legado indiscutível de descendentes que deram inumeráveis contribuições em que prevalece a influência da matriz africana.

‘Nós transatlânticos’ visa criar um site sobre o legado africano no Brasil e na Bahia, porto dos primeiros navios negreiros desembarcados no país e foco de uma cultura que se constituiu e permanentemente se transforma ao longo da nossa história. O projeto consiste também na criação de acervo de vídeos, informações digitalizadas, depoimentos, documentos de pessoas e instituições ligadas, direta ou indiretamente, à construção social da cultura afrodescendente no Brasil e, especificamente, na Bahia. O projeto foi escolhido através da Petrobras Cultural 2012.

Entre as entrevistas de expoentes baianos que compõem o arquivo audiovisual do site, estão as de: Riachão, Bule Bule, Cid Teixeira, Alberto da Costa e Silva, Vivaldo da Costa Lima, Zebrinha, Luislinda Valois, Juarez Paraíso, Capinan, João Jorge, Adenor Gondim, Jota Cunha, Clarindo Silva, Lazzo Matumbi, Muniz Sodré, Emilia Biancardi, Magareth Menezes, João Jorge. São pessoas que falam sobre os problemas de preconceitos, as dificuldades que enfrentaram ao longo de suas vidas e trajetórias profissionais e das suas conquistas em meio aos obstáculos diários. Essas pessoas representam “NÓS”, são os personagens reais, que simbolizam a ligação que existe entre o Brasil e a África. Daí o nome do projeto: “Nós Transatlânticos”.

O primeiro conjunto dos depoimentos resultará na criação inédita de uma biblioteca audiovisual com foco voltado para o processo de construção social da cultura afrodescendente no Brasil. Este será, no seu lançamento, o legado que a iniciativa pretende implantar na Bahia. “A continuação do processo de pesquisa, produção, sistematização e atualização pretende produzir um grande acervo de referência contendo vídeos, iconografia, música e informações digitalizadas” afirma o diretor Paulo Dourado. As cinquenta e cinco entrevistas iniciais estarão disponíveis no site Nós Transatlânticos (http://www.nostransatlanticos.com)

O projeto, que teve início em 2014, está na sua fase final de implantação com a consolidação das entrevistas e relatórios que serão incorporados aos demais documentos históricos que farão parte do acervo. O site traz informações aprofundadas sobre questões relacionadas à: História, Antropologia, Música, Artes Plásticas, Religiões de Matriz Africana, Mulher.

A base histórica primária é datada de informações que remontam a cerca de 200 anos com a consolidação urbana na época do Descobrimento do Brasil, com a vinda da Corte Imperial Portuguesa, em 1808, seguida da Abolição da Escravatura e da Proclamação da República, dando início à imigração para as cidades de milhares de escravos libertos de fazendas espalhadas em todo o território brasileiro. O veículo online envolve informações comerciais, políticas, sociais, econômicas, educativas, culturais e demográficas de toda a história afrodescendente no Brasil e no Continente Africano.

O projeto e o site ‘Nós Transatlânticos’, juntos, objetivam ser uma grande contribuição para a difusão, a valorização e a compreensão do legado cultural do Continente Africano, além de englobar a história do Brasil e suas especificidades datadas de épocas antigas, que se revelarão com intensidade, através da comunicação e da diversidade das redes sociais.

A iniciativa pioneira, que envolve de saída cinquenta e cinco grandes nomes da cultura baiana e nacional, tem a direção geral de Paulo Dourado, consultoria de Adenor Gondim e Cecília Soares, edição de textos de Maira Cristina, Luciana Acyole e Edvard Passos, fotografia de Gabriel Teixeira e Adenor Gondim, edição de imagens de Phillipe Santana, produção executiva de Victor Alves e Lucas Amarante, gerenciamento de redes sociais de Wilton Emanuel.

Programação do lançamento do site Nós Transatlânticos – Dia 7/12/2016 (quarta)

17h - Palestra com a escritora e professora Ana Maria Gonçalves – Tema: Um Defeito de Cor e outros livros

18h30 - Atração Musical - Roberto Mendes

19h20 - Atração Musical - Ana Mametto

Serviço:

Evento – Lançamento do projeto e site “Nós Transatlânticos” -(http://www.nostransatlanticos.com)
Local - Museu Nacional da Cultura Afro Brasileira – MUNCAB

Endereço – Rua do Tesouro, 61-127 - Centro, Salvador - BA, 40020-056

Data – 7 de dezembro de 2016 (quarta)

Horário – A partir das 16h30

Programação – Palestra de Ana Maria Gonçalves e shows de Ana Mametto e Roberto Mendes

Patrocínio – Petrobrás

 

Lista completa das personalidades que concederam entrevistas ao site e integram o projeto: Nós Transatlânticos:

01. Abdias do Nascimento – Pensador e Político
02. Alberto da Costa e Silva - Historiador
03. Alberto Pitta - Artista Plástico
04. Bule - Bule - Músico
05. Camilo Afonso – Historiador Angolano
06. J.C. Capinan - Poeta
07. Cecília Soares - Historiadora
10. Ebomi Cidália
11. Gerônimo Santana - Músico
12. Goya Lopes - Artista Plástica
13. João Jorge - Produtor Cultural
14. João Reis - Historiador
15. Jota Cunha - Artista Plastico
16. Juarez Paraiso - Artista Plástico
17. Lazzo Matumbi - Músico
18. Lettieris Leite - Músico
19. Lícia Moraes - Dançarina
20. Luislinda Valois - Desenbargadora
21. Luiz Mott - Antropólogo
22. Mãe Stella – Ialorixá do Ilê Axé Opô Afonjá
23. Márcio Victor - Músico
24. Margareth Menezes - Musicista
25. Muniz Sodré - Antropólogo
26. Nadir Nóbrega - Dançarina
27. Pai Laércio - Babalorixá
28. Riachão - Músico
29. Sabrina Gledhill (sobre Manoel Querino) - Historiadora
30. Vavá Botelho - Produtor Cultural
31. Vivaldo da Costa Lima - Antropólogo
32. Yeda Pessoa de Castro - Antropóloga
33. Zebrinha - Coreógrafo
34. Adenor Gondim - Fotógrafo
35. Arany Santana - Atriz
36. Jeferson Barcelar - Antropólogo
37. King – Prof. De dança Afro
38. Lígia Margarida - Educadora
39. Makota Valdina
40. Negra Jhô - Cabelereira
41. Nelson Rufino - Músico
42. Paulo Cesar - Historiador
43. Renato Silveira - Antropólogo
44. Valmir Lima - Músico
45. Walter Lima – Cineasta/Pai Agenor - Babalawô
46. Zulu Araújo - Arquiteto
47. Emilia BIancardi - Musicista
48. Matheus Aleluia - Músico
49. Vovô do Ilê - Produtor Cultural
50. Luis Nascimento - Gestor Cultural (RJ)
51. Equede Sinha – Casa Branca
52. Clyde Morgan – Dançarino
53. Augusto Omulú - Dançarino
54. Júlio Braga – Babalorixá
55. Fabricio Boliveira – Ator
 

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

PodCast

Estudantes da Uefs são vítimas de sequestro relâmpago dentro do campus

mais podcast ›

Videos

Motorista filma acidente com vítima fatal na Bahia; veja o vídeo