Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

21º 29º Feira de Santana
01 de outubro de 2014
Eleies 2014

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Top Bahia
Vitalab  novo
Centro Mdico dos Remdios
Todas as notícias Feira de Santana

OAB pode entrar com ação contra o aumento do IPTU em Feira de Santana

01/04/2014 16h01
O prefeito José Ronaldo de Carvalho participou de uma reunião, junto com representantes de várias entidades de classe, advogados, vereadores e empresários, na noite de ontem (31), para discutir sobre o assunto.
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
OAB pode entrar com ação contra o aumento do IPTU em Feira de Santana
Paulo José/Acorda Cidade | José Ronaldo em reunião com empresários para discutir o IPTU
Daniela Cardoso 
 
O reajuste do IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana) de Feira de Santana tem gerado muitas reclamações da população. O deputado federal Fernando Torres, em nome do seu partido (PSD) e o deputado estadual Zé Neto, em nome do PT e também individualmente, já entraram com ações na justiça contra o aumento do IPTU. 
 

 
Nesta terça-feira (1º), o presidente da subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Feira de Santana, Pedro Mascarenhas, em entrevista ao Acorda Cidade, se posicionou sobre o assunto e afirmou que a OAB tem a função institucional não só nos interesses corporativistas dos advogados, mas também nos assuntos da sociedade, e por isso o órgão vai verificar se o processo que norteou o aumento tem ilegalidade, para assim definir se há a necessidade de uma ação judicial. 
 
“Entendemos que o aumento do IPTU criou um clima de insatisfação. Após a verificação de ilegalidade, iremos analisar a necessidade de uma ação judicial. Desde ontem encaminhei um ofício para o presidente da seccional Bahia, Luiz Vian, para que ele nos envie os advogados que fizeram o parecer na questão de Salvador. Entendemos que temos outros meios com os quais a população pode se servir, como o Ministério Público da Bahia, que ainda não ingressou com nenhum tipo de ação”. 
 
Prefeito se reúne com empresários 
 
O prefeito José Ronaldo de Carvalho participou de uma reunião, junto com representantes de várias entidades de classe, advogados, vereadores e empresários, na noite de ontem (31), para discutir sobre o assunto. Ele afirmou que o objetivo do governo é crescer e desenvolver a cidade, mas que também é fazer as coisas com justiça, em todos os sentidos.
 
Segundo José Ronaldo, Feira de Santana tem isenção do IPTU para 95 mil casas e mais uma vez explicou que houve uma correção da planta genérica, mas disse que o objetivo não é um aumento astronômico.
 
“Pode acontecer de alguns casos estarem com os valores altos na correção, mas a gente precisa analisar cada um deles. Existem casos que estavam registrados na prefeitura como terrenos e hoje são casa. Tem imóvel que era uma casa com um único piso e hoje tem três, então não pode ter uma correção em um imóvel desse, igual a outro que está do mesmo tamanho e do mesmo jeito que estava no ano passado”, explicou.
 
Para analisar todos os casos, Ronaldo informou que a Secretaria da Fazenda está aberta de 8h às 18h, sem intervalo para almoço, e que no próximo sábado e domingo a secretaria também estará aberta para atender a população. “Qualquer pessoa que acha que o valor está a mais, é só ir à secretaria para expor o que pensa. O diálogo está aberto”, destacou.
 
O prefeito José Ronaldo disse ainda que no ano de 2002 ocorreu uma situação semelhante, mas nenhum caso chegou à Justiça. “Todos os casos foram ajustados dentro do princípio do que a lei nos dá o direito de fazer”, afirmou. 
 
O presidente da CDL (Câmara de Dirigentes lojistas), Alfredo Falcão, considera que o aumento foi excessivo e que vai trazer algumas dificuldades para as pessoas fazerem o pagamento. Ele afirma que a renda das pessoas não cresceu no mesmo montante do crescimento do IPTU. 
 
“Nós até concordamos com um aumento, mas não na proporção como ocorreu. O preço ficou muito elevado. O prefeito mostrou que existe uma lei, que não pode ser revogada, porque senão o município ficaria sem lei para a cobrança do IPTU. Para esse ano, em termos legais, dificilmente vai poder se fazer alguma coisa, a não ser a negociação caso a caso”, disse. 
 
Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade.

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

Matiz Primavera
CONCURSOS

Veja também

Vídeos

Saia justa na Rede Record do Rio de Janeiro

PodCast

Ronny assume candidatura à presidência da Câmara

mais podcast ›

Canta Passarinho

De: Ouvinte
Para: Aldo Mattos
Local: Feira

"Aldo esse diretor do presidio não é dr. e nem doutor ele é funcionário do Estado trabalhou muito tempo na antiga Telebahia. OK!"

envie seu recado mais recados ›