Acorda Cidade | Dilton Coutinho | Portal de notícias de Feira de Santana - Bahia

19º 29º Feira de Santana
31 de maio de 2016

Notícias

Esportes

Empregos

Lazer

Especial

Todas as notícias Dilton e Feito

E, tenho dito

21/02/2014 17h06
Prefeitura de Feira antecipa problemas com IPTU e tenta preparar o terreno
Mudar o tamanho da letra: Aumentar letra Diminuir letra
E, tenho dito
Arquivo/Roberta Costa/Acorda Cidade

Após repercussão negativa dos altos preços do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPT) de Salvador - alvo de ações de inconstitucionalidade pela seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) e partidos políticos - a Prefeitura de Feira de Santana antecipa os problemas que devem acontecer na cidade pelo mesmo motivo e tenta amenizar a reação dos contribuintes. Nos mais diversos impressos da cidade desta sexta-feira (21), um comunicado da Secretaria Municipal da Fazenda informa, por exemplo, que “Feira de Santana cobra o menor IPTU do Brasil, entre cidades do seu porte”; que depois de 13 anos o imposto passa por uma adequação e que “é uma medida justa, honesta e necessária para que a nossa cidade possa corrigir graves distorções, que prejudicam seu desenvolvimento”. Em Salvador, o prefeito ACM Neto (DEM) chegou a contratar por R$ 230 mil um dos maiores juristas da área de Direito Tributário do país, Paulo de Barros Carvalho, para "emissão de parecer jurídico". Carvalho concorda com a tese do Município de que não há inconstitucionalidade nos valores cobrados, que em alguns casos teve reajuste de mais 1000%. Em Salvador, o problema está por resolver; em Feira, ainda está por vir. Porque, enquanto a prefeitura tenta preparar o terreno, a população vive a apreensão da chegada dos recibos de cobrança. 

Banho de água fria 

Diante do atraso de três meses de salários dos entes públicos - funcionários contratados pela Prefeitura de Feira de Santana em convênio com a Secretaria Estadual de Saúde, que fica responsável pela transferência dos pagamentos para o município - e alegação de que o Estado está sem dinheiro, o governador Jaques Wagner passou por cima das diferenças políticas e pediu ao prefeito José Ronaldo para assumir a dívida, até que a verba federal chegasse. Pedido atendido, iniciativa elogiada, funcionários satisfeitos para, em seguida, recebermos todos nós um “banho de água fria”. O acerto entre chefes do executivo municipal e estadual teve grande repercussão política e, nesta sexta-feira (21), fui informado que os 84 funcionários que seguram o serviço de emergência do Hospital Geral Clériston Andrade serão demitidos, para romper de vez o vínculo com a prefeitura. Informação esta, infelizmente, já confirmada pela secretária municipal de Sáude, Denise Mascarenhas. Mais uma vez questões políticas sobrepõe as sociais. E a pergunta que fica é: quem vai tocar o Clériston Andrade?

É muito importante a sua participação. Envie para nós a sua sugestão de correção.



É muito importante a sua participação. Em breve entraremos em contato.



Comentários

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Acorda Cidade.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Acorda Cidade pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Veja também

Videos

Gorila morto em Zoológico depois de criança cair no interior da jaula

PodCast

Vereador diz que túnel do BRT atingiu lençol freático na Maria Quitéria; engenheiros negam

mais podcast ›

Canta Passarinho

De: HGCA
Para: DILTON COUTINHO
Local:

"DILTON, BOM DIA! PEDIMOS ENCARECIDAMENTE A DIVULGAÇÃO NESTE CONCEITUADO PROGRAMA, O DISCASO POR PARTE DA EMPRESA FUNDAÇÃO JOSÉ SILVEIRA QUE PRESTA SERVIÇO AO HOSPITAL CLÉRISTON ANDRAD..."

envie seu recado mais recados ›