Acorda Cidade - Dilton Coutinho
23/10/2013 16:12

Médico alerta sobre os riscos provocados por varizes

Hospital Clériston Andrade faz mutirão para tratamento da doença em Feira de Santana

Reprodução/ Imagem ilustrativa

Foto: Reprodução/ Imagem ilustrativa

Laiane Cruz

O governo da Bahia, através da Secretaria Municipal de Saúde, está realizando um mutirão para tratamento de varizes. Em Feira de Santana, o atendimento às pessoas acometidas pela doença está acontecendo no Hospital Geral Clériston Andrade.
 
O diretor do hospital, José Carlos Pitangueira, explicou que as consultas deverão ser feitas às segundas-feiras no período da manhã com o médico angiologista, e que de quinze em quinze dias o hospital vem realizando uma média de 25 a 30 atendimentos. “Não vamos parar até dezembro. Esse projeto é do governo do estado e está sendo feito em todos os municípios, só para Feira que não tinha vindo ainda. Então foi oferecido para o Clériston e a diretoria achou por bem de nós fazermos”, informou.
 
Transtorno
 
As varizes, que atingem principalmente mulheres em todo o mundo, podem causar incapacitação física. No Brasil, as pessoas que sofrem com o problema têm dificuldades de fazer o tratamento e quando buscam o amparo do governo federal, para se encostarem ou aposentarem, através do INSS, não o encontram.
 
Segundo o angiologista Bráulio Sandes, as varizes são vasos que começam a dilatar pela pressão venosa dos membros inferiores e se entortam ao longo das pernas. Ele explicou ainda que isto desencadeia um processo social.
 
“Atualmente, nos Estados Unidos da América a carteira de acidentes de trabalho possui mais de quatro milhões de trabalhadores aposentados ou encostados devido a essa insuficiência venosa nos membros inferiores. Este é um processo de grande importância para o Brasil, com este desenvolvimento industrial que existe no país, para que se tenha uma atenção maior com essa patologia”, disse.
 
O médico aponta que pessoas que trabalham em pé, colocando peso do corpo sobre as pernas o dia todo, podem contrair a doença. Segundo o médico, as gestantes são as mais atingidas, principalmente quando, durante a gestação, precisam trabalhar fora. 
 
“A mulher já tem uma tendência hormonal na formação de varizes, ela tem um processo estrutural dela na gestação com a compressão do abdômen, que dá realmente uma hipertensão venosa nos membros inferiores”, afirmou o médico.

Tratamento
 
O tratamento das varizes varia, segundo Sandes, de acordo com o grau de insuficiência venosa de cada paciente, que pode se tratar apenas com remédios e meias de compressão, ou até mesmo passar por cirurgias, como a escleroterapia e as cirurgias com laser. 
 
A cirurgia a laser, por outro lado, é mais moderna e indolor ao paciente, mas ainda não está acessível à população através dos planos de saúde, devido aos valores dos repasses aos médicos estarem defasados. Por isso, muitas pessoas, para terem acesso a essa técnica, precisam pagar do próprio bolso a cirurgia, que tem um custo elevado.

As informações são do repórter Ney Silva do Acorda Cidade.

Desenvolvido por Tacitus Tecnologia - www.tacitus.com.br